Azacitidina e Venetoclax em Leucemia Mielóide Aguda sem tratamento prévio¹

Comentado por  Ana Cristina Lopes 

A Leucemia Mielóide Aguda apresenta sua maior prevalência entre idosos (idade média ao diagnóstico de 68 anos), porém, o tratamento destes pacientes com quimioterapia intensiva convencional é frequentemente impossibilitado pela idade avançada e comorbidades apresentadas.

Dados do estudo preliminar de segurança e eficácia não randomizado e de fase 1b, publicado no Lancet em 2018², demonstraram resposta completa em 59% dos pacientes que fizeram uso da combinação Venetoclax + Azacitidina (considerando também os casos com recuperação hematológica incompleta).
O estudo confirmatório, fase 3, multicêntrico, publicado em 13 de agosto de 2020 no The New England Journal of Medicine, avaliou a eficácia e segurança do esquema combinado Azacitidina e Venetoclax em pacientes considerados inelegíveis para terapia convencional.

Foram incluídos no estudo pacientes com 75 anos ou mais, ou que apresentavam comorbidades (Insuficiência Cardíaca, Angina estável, Capacidade Pulmonar Reduzida, ECOG 2 ou 3). Foram excluídos aqueles que já haviam recebido previamente quimioterapia, venetoclax ou agentes hipometilantes, ou apresentavam citogenética favorável.

Os 431 pacientes, selecionados entre fevereiro de 2017 e maio de 2019, foram randomizados para receberem a combinação Azacitidina e Venetoclax ou Azacitidina e Placebo.

Os resultados mostram que houve aumento da sobrevida global mediana (desfecho primário do estudo) nos pacientes que fizeram uso da terapia combinada (14.7 meses vs. 9.6 meses, HR 0.66; P<0.001), como também houve aumento do número de pacientes que atingiram remissão completa, considerando os casos com recuperação hematológica incompleta (66.4% vs. 28.3%; P<0.001). A incidência do efeito adverso de Neutropenia Febril foi maior nos pacientes que fizeram uso da terapia combinada (42% vs. 19%).

Os resultados encontrados são promissores para essa população não elegível à terapia intensiva que, até o momento, apresentava prognóstico reservado com as opções terapêuticas disponíveis.

Referências
1. DiNardo CD, et al. Azacitidine and Venetoclax in Previously Untreated Acute Myeloid. N Engl J Med. 2020;383(7):617-629.

2. DiNardo CD, Pratz KW, Letai A, et al. Safety and preliminary efficacy of venetoclax with decitabine or azacitidine in elderly patients with previously untreated acute myeloid leukaemia: a non-randomised, open-label, phase 1b study. Lancet Oncol. 2018;19(2):216-228. doi:10.1016/S1470-2045(18)30010-X

Author profile
 
× Olá, Como posso te ajudar?