“CheckMate 214: Nivolumab plus Ipilimumab versus Sunitinib in Advanced Renal Cell Carcinoma

Por: Andrezza Santos

Publicado no New England Journal of Medicine em 21 de março de 2018.

Esse foi um estudo randomizado de fase III, aberto liderado pelo Dr. Motzer, importante pesquisador do Memorial Sloan Kettering Cancer Center,  em que pacientes com neoplasia de rim avançada em primeira linha de tratamento foram randomizados 1:1 para tratamento com nivolumab 3mg∕kg associado ao ipilimumab 1mg∕kg a cada 21 dias por quatro doses (fase de indução) seguido por nivolumab 3mg∕kg a cada duas semanas (fase de manutenção) ou sunitinib 50mg administrado 1x ao dia por quatro semanas em ciclos de 6 semanas.

Foram tratados 1.082 pacientes (547 com ipilimumab + nivolumab e 535 com sunitinib) com carcinoma de células renais com componente de células claras. A estratificação de risco foi baseada nos critérios prognósticos, comumente utilizados, desenvolvidos pelo International Metastatic Renall Cell Carcinoma Database Consortium (IMDC) – (KPS ≤70, cálcio> 10mg∕dl, tempo entre diagnóstico e randomização menor que um ano, hemoglobina inferior ao limite da normalidade e contagem de neutrófilos e plaquetas acima do limite superior da normalidade). De acordo com esses critérios considera-se de risco favorável aquele que não preenche nenhum dos critérios, intermediário 1-2 critérios e ruim 3-6. Pacientes com metástase cerebral foram excluídos do estudo.

Os objetivos primários do estudo foram taxa de resposta objetiva, sobrevida livre de progressão e sobrevida global na população de risco intermediário e ruim.

Após um seguimento de mediano de 25,2 meses, na população de risco intermediário e ruim, a taxa de resposta objetiva foi 42% com ipilimumab + nivolumab versus 27% com sunitinib (p<0,001) com taxa de resposta completa 9% versus 1%, respectivamente. A taxa de sobrevida global em 18 meses foi 75% com ipilimumab + nivolumab versus 60% com sunitinib (HR 0,63; 99,8% CI, 0,44-0,89; p< 0,001).  A mediana de sobrevida global foi 26 meses com sunitinib e não atingida no braço experimental. A mediana de sobrevida livre foi 11,6 meses com ipilimumab + nivolumab versus 8,4 meses com sunitinib (p<0,03). De forma interessante, uma análise exploratória, no subgrupo de pacientes de risco favorável revelou taxa de resposta objetiva (29% vs 52%) e mediana de sobrevida livre de progressão favorecendo de forma significativa o grupo tratado com sunitinib (15,3 meses vs 25,1 meses- p<0,001).

Esse estudo evidencia a superioridade da combinação ipilimumab + nivolumab que emerge como mais uma opção de primeira linha no tratamento do carcinoma de células renais avançado na população de risco intermediário e ruim. É importante ressaltar que a utilização do ipilimumab 1mg∕kg associado a nivolumab 3mg∕kg, com dose de ipilimumab menor que a preconizada em estudo prévio que orienta o tratamento combinado para melanoma, onde foi utilizado ipilimumab 3mg∕kg, ofereceu um melhor perfil de segurança para a combinação de drogas com taxa de eventos adversos semelhante entre os dois grupos, porém com eventos graus 3 e 4 ocorrendo com maior frequência no grupo tratado com sunitinib.

 

Author profile
Dra. Andrezza Santos
Médico Oncologista at Real Instituto de Oncologia

Residência em oncologia Clinica no Instituto de Medicina Integral Prof. Fernando Figueira IMIP, Mestrado em cuidados paliativos pelo IMIP, Preceptora das residências de oncologia clínica do IMIP, Hospital Universitário Osvaldo Cruz -HUOC e do Real Hospital Português

× Olá, Como posso te ajudar?