Vírus da Zika pode ser usado para combater tumores

Por: Dra. Carolina Matias

Um estudo realizado por cientistas do Centro de Estudos do Genoma Humano e Células Tronco da Universidade de São Paulo sob coordenação dos doutores Mayana Zatz e Keith Okamoto e publicado na revista Cancer Research em 26 de abril de 2018, mostra que o vírus da zika é capaz de infectar e matar células de tumores cerebrais.

O estudo foi realizado em camundongos, utilizando principalmente linhagens celulares humanas derivadas de dois tipos de tumores embrionários do sistema nervoso central (SNC): o meduloblastoma e o tumor teratoide rabdoide atípico (AT/RT, na sigla em inglês). São tumores que afetam principalmente crianças com menos de cinco anos de idade.

Em 20 de 29 animais tratados com o vírus do zika no estudo, os tumores regrediram. Em sete deles (cinco com AT/RT e dois com meduloblastoma), a remissão foi completa. Além disso, o vírus mostrou uma grande especificidade por esse tipo de células e os animais não apresentaram qualquer evidência de sintomas associados à infecção pelo vírus.

Este lado terapêutico do vírus zika que, em 2015, deixou em alerta as autoridades mundiais de saúde pública, quando se estabeleceu a ligação entre a infecção pelo vírus durante a gestação e o nascimento de crianças com microcefalia, já havia sido estudado em laboratório in vitro em células de glioblastoma porém o estudo brasileiro foi o primeiro a testar estas características oncolíticas do vírus zika in vivo.

Os pesquisadores estudam agora a melhor forma de estudar esta descoberta em humanos, com previsão de início dos testes no fim de 2018.

Author profile
Dra. Carolina Matias
Médica Oncologista at Real Instituto de Oncologia

Graduação em Medicina: Universidade Federal de Pernambuco.
Residência em Clínica Médica: Hospital das Clínicas da UFPE.
Residência em Oncologia Clínica: AC Camargo Cancer Center, São Paulo-SP.
Mestre em Medicina Tropical pela UFPE.
Tutora de medicina da Faculdade Pernambucana de Saúde.
Preceptora da Residência de Oncologia Clínica do Real Hospital Português e do IMIP e da residência de clínica médica do Hospital Barão de Lucena

× Olá, Como posso te ajudar?